,1-- -->

10 dicas práticas para escrever todos os dias

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Receba os artigos diretamente no seu email



Como ter mais criatividade todos os dias: essa é uma das perguntas que mais recebo nas minhas redes sociais.

A resposta que a maioria das pessoas espera é uma pílula mágica, onde ela irá tomar e, da noite para o dia, todos os dias, ter ideias fantásticas para escrever.

Eu também adoraria uma pílula dessas, mas nós sabemos que ela não existe.

No fundo, também sabemos que criatividade não é dom, é técnica, trabalho e treino. E que em alguns dias, suas ideias serão péssimas.

Na maior parte do tempo elas serão medíocres.

E vez ou outras, você terá aquele lampejo de criatividade que vai mudar seu jogo.

Mas para que essa ideia fora da caixa tenha espaço para florescer, não adianta: você terá que exercitar o músculo da criatividade diariamente.

Para facilitar seu trabalho diário, separei 10 dicas que uso para ter mais criatividade todos os dias.

1. Manter a curiosidade de uma criança

Toda criança é criativa. Até o ponto em que vão nos colocando numa jaula de regras e doutrinas.

Paramos de questionar e começamos a aceitar o senso comum…

O grande problema é que as máquinas são ótimas em não questionar e em fazer operações de lógica. Esse é o seu super poder.

Seres humanos não são máquinas. Nosso super poder é outro…

É aquele que possibilita a criação das máquinas: a criatividade.

Para resgatar a sua natureza criativa, volte à fase dos porquês. Tenho certeza que você se lembra dela.

Observe as coisas a seu redor e se pergunte porque elas são daquela maneira, como funcionam e se poderiam ser diferentes ou melhores.

Treine seu cérebro a enxergar além da superfície e deixar o óbvio de lado.

2. Mantenha um diário focado

No livro o Caminho do Artista, a autora Julia Cameron indica que se faça um diário chamado de páginas matinais.

A ideia é que você escreva de forma livre e sem julgamentos sobre o que estiver na sua cabeça naquele momento.

Mas existe uma regra importante: você não pode ler o que escreveu nas páginas anteriores por 8 semanas.

Recomendo que você faça da forma recomendada pela autora pelas 8 semanas e na nona releia tudo que escreveu.

Analise com sinceridade e sem julgamentos:

  • O que você vive reclamando
  • O que vive adiando e o que ganha com essa procrastinação
  • O que mudou ou aceitou nesse período de 8 semanas
  • Quais são seus maiores medos?

Vá grifando trechos que chamam sua atenção ou se repetem.

Em geral, são pontos de atenção de problemas que estão muito presentes em nossas vidas, muitas vezes atrapalhando nosso potencial criativo, e nem nos damos conta.

Após identificar esses padrões, busque escolher ações para resolver.

Você pode continuar escrevendo conforme a autora recomenda ou passar a usar as páginas matinais para pensar sobre assuntos específicos como:

  • Um problema pessoal que precisa resolver
  • Ideias para um novo livro
  • Formas de melhorar seu marketing e seu produto
  • Um aspecto da sua personalidade que você deseja melhorar
  • Usar como depósito de ideias
  • Escrever histórias pessoais.

Ao manter um diário focado e escrever ideias ou apenas pensamentos e sentimentos todos os dias, você verá que não falta criatividade na sua rotina. Você apenas não tinha um espaço aberto para ela.

3. Cuidado com o excesso de informação

Sem referências não se cria. Com informações em excesso, se paralisa.

A diferença entre o veneno e o remédio está na dose. E é bem fácil perceber quando você está desequilibrando a balança entre a criação e o consumo.

O primeiro sinal é o bloqueio criativo: a mente está tão cansada e tão ocupada com informações e pensamentos que não há espaço para nada de novo surgir.

Se você fica muito tempo nas redes sociais e lê tudo que chega até você, mas não consegue memorizar quase nada, atenção: esse é um sinal claro que o excesso de informações está começando a afetar sua criatividade.

Para eliminar a confusão mental, experimente colocar essas ações em prática por, pelo menos, uma semana:

  • Limite seu uso de redes sociais para 10 minutos por dia.
  • Desligue o WI-FI e o celular enquanto estiver escrevendo
  • Fique uma semana sem ler nenhum livro
  • Agende na sua agenda data e hora apenas para refletir sobre um assunto importante.
  • Amplie suas referências e busque por inspiração no mundo real, visitando museus, exposições ou assistindo a peças de teatro.
  • Anote as suas ideias em post-its ao invés de usar o celular.
  • Faça 20 minutos de caminhada diária. Ela funciona como uma meditação em movimento para você se conectar com o mundo exterior.
  • Durma: muitas vezes seu bloqueio pode estar sendo ocasionado pelo cansaço.

4. Acabe com a sua liberdade

Ter mais liberdade criativa é o sonho de todo escritor. Imagine só, poder escrever sobre o que quiser, na hora que desejar…parece ótimo, não é?

Bem, como uma imagem romântica do que é ser escritor, sim.

Porém, se você não quer ser mais um seguindo o esteriótipo do artista torturado, que não consegue repetir aquela ideia genial que teve uma vez na vida, sugiro que você comece a restringir sua criatividade.

Confie em mim: a restrição é a mãe das ideias mais geniais. Quer ver?

Israel é um pequeno país, no meio do deserto, cercado por condições climáticas desfavoráveis. No entanto, é um dos maiores polos de tecnologia e inovação do mundo.

Já parou para pensar na razão?

Ao ter limite de matéria-prima e condições favoráveis, os israelenses tiveram que trabalhar a criatividade para resolver seus problemas usando os recursos que tinham e não aqueles que gostariam de ter.

Sempre coloco duas restrições na hora de escrever:

Tempo

Gosto de fazer um exercício chamado “Micro Sprint”.

Você irá determinar quanto tempo por dia irá dedicar exclusivamente para escrever e nada mais.

Se você é iniciante, comece com 5 minutos diários e se está mais avançado pode ir acima de 30 minutos.

Recomendo que você faça essa atividade na sua melhor hora do dia, aquela onde você terá menos interrupções externas.

Quanto mais você escreve, mais adaptado se torna. Tanto sua capacidade de [digitação], criatividade e qualidade do texto irão aumentar com o tempo.

Ao limitar o tempo você é obrigado a trabalhar com hiper foco, evitando distrações e desenvolvendo ideias de melhor qualidade.

Tema

Escolho o tema do meu texto...

no dia anterior.

Também aproveito para fazer uma pesquisa sobre o assunto, avaliando tudo que já foi dito sobre o tema, dados relevantes que posso usar na hora de escrever e uma rápida estrutura dos tópicos que eu quero tratar.

Ao definir a minha Big Idea e me forçar a permanecer somente nela, ganho profundidade e clareza nas ideias que vou desenvolver.

Sem falar que consigo manter a atenção do leitor do início ao fim.

5. Trate a criatividade como um hábito qualquer

Quer ter mais criatividade?

Pratique sua arte todos os dias. E descanse quando sentir que precisa de espaço mental para novas ideias chegam, como sugeri na dica #3.

Quanto mais você escreve, mais trabalha o músculo e o hábito da criatividade.

Faça um teste: escreva por 30 dias seguidos e veja se a cada dia não vai ficando mais fácil ter boas ideias.

Procure escrever diariamente, evitando a todo custo perder mais que dois dias seguidos para não arriscar colocar seu progresso a perder.

6. Fuja do “mais do mesmo”

Boas referências são o combustível da sua imaginação.

Mas não basta investir apenas em referências da sua própria área de atuação se você não quer parecer apenas a versão genérica de alguém mais criativo que você.

Se você só consome conteúdos de um mesmo assunto, suas ideias serão sempre as mesmas: iguais à maioria das outras pessoas que apenas copiam aqueles que são os mais originais.

Apesar de produzir conteúdo essencialmente sobre Escrita e Marketing Digital, gosto de ler sobre vários assuntos, como cinema, esportes e ciência.

Porém, as informações que absorvemos precisam de um certo tempo para serem processadas. O chamado período de incubação.

Seu cérebro precisa de um tempo para processar e armazenar as referências que você coleta no dia a dia.

Esse não é um processo imediato.

Por isso que muitas vezes temos ideias antes de pegar no sono ou durante o banho.

É o momento que nossa mente está mais relaxada, portanto, mais disposta a trazer pensamentos do subconsciente para o consciente.

Na verdade, estava tudo ali guardado, só esperando a hora certa para aparecer.

7. Não pare nas primeiras ideias

Ter boas ideias é muito difícil.

Ter ideias ruins ou medíocres é muito fácil.

Portanto, foque quantidade ao invés da qualidade. Quanto mais ideias você tiver, maiores serão as chances de conseguir gerar as verdadeiras boas ideias.

Logo, não tenha medo de abandonar as primeiras ideias que vierem à sua cabeça. Elas serão as mesmas que a maioria das pessoas tem.

Continue criando e sem julgar se aquilo que está chegando até você é bom ou não.

O autor Robert Dilts estudou o processo criativo de Walt Disney no seu livro Estratégias de um gênio e identificou 3 papéis exercidos por ele em suas criações:

  • O sonhador
  • O realista
  • O crítico

Ao adotar a postura do Sonhador, Disney usava todo seu potencial de imaginação para criar as ideias mais fantásticas possíveis, sem pensar se seriam lucrativas ou viáveis.

Em um segundo momento, o Realista tinha que criar meios para colocar as ideias em prática, sem medir esforços para que isso acontecesse.

Por fim, o Crítico entrava em cena com a intenção de lapidar, como um diamante bruto, as ideias pré-concebidas.

A primeira solução nunca era melhor na visão dele. Conforme esse processo cíclico de criação se repetia, mais melhorias eram executadas.

8.Não apresse a sua criatividade

Quando você trabalha de forma automática, você tem ideias ruins.

Quando você segue fórmulas, você tem ideias ruins.

Quando você está desesperado ou com pressa, você tem ideias ruins.

A boa escrita tem seu próprio tempo para acontecer.

Quando temos prazos apertados e não aprendemos a trabalhar com essa limitação criativa, acabamos por recorrer a fórmulas, cópias e ideias mal formuladas.

Como você viu, a limitação pode ser uma poderosa arma para vencer o bloqueio criativo desde que usada com sabedoria.

Ao invés de procrastinar, planeje sua escrita, escreva todos os dias e não se permita cair no modo automático.

9.Esqueça do resultado final

Você estaria disposto(a) a fazer o que mais ama sem esperar nada em troca?

Um escritor não faz ideia se aquele livro que ele levou meses escrevendo vai agradar seu público.

Não existe garantia de sucesso quando decidimos ir atrás de nossos sonhos.

Mas uma coisa é certa: se você continua no mesmo lugar, sem coragem de ir na direção que o seu coração aponta, a dor só irá crescer, dando lugar a um vazio existencial.

Quando você pratica sua arte, está treinando com consistência, criando os músculos da escrita e da criatividade. Aqueles que, no longo prazo, aumentam suas chances de sucesso.

O trabalho criativo é como uma maratona, porém, ao invés de ganhar uma medalha ao final dos 42 km percorridos, você é trazido de novo ao início para começar outra prova.

Portanto, se você ter mais criatividade, não foque no troféu, mas na jornada.

10.Não busque respostas prontas

Crescemos acreditando que as respostas prontas são mais importantes do a habilidade de fazer as perguntas certas.

⁣Se a criança pinta o céu de laranja, o professor marca como certo ou errado?⁣⠀

Aos poucos, vamos aprendendo a pensar, portanto, criar, dentro de uma caixa.

Algo parecido acontece quando escrevemos.⁣ ⠀

Escolhemos buscar pontos de vista de outras pessoas que já escreveram sobre o assunto para não correr o risco de “errar”. Mas nada de muito original pode surgir se o medo está tão presente que se transforma em grilhões que prendem a verdadeira criatividade.

Aquela que acessamos quando entendemos que todas as respostas podem estar certas, assim como erradas.

⁣As pessoas desejam uma única pílula que resolva todos os seus problemas. ⁣

Elas querem a resposta pronta, assim como sabiam que a resposta certa para 2 + 2 era 4.⁣ Escritores que não conseguem sair dessa caixa onde foram colocados nos seus primeiros anos de vida, buscam mostrar que 2+2 é sempre 4.

Seguem o pensamento do coletivo e não o chamado verdadeiro das suas almas.

Não ousam silenciar as vozes externas para ouvir aquele sussurro que surge dentro de si.

Esse sussurro é a sua verdadeira voz da criatividade, apenas esperando a chance de ganhar o mundo.

Você vai deixá-la sair?



Fonte