,1-- -->

como ter sucesso e prosperar no mundo dos extrovertidos

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Receba os artigos diretamente no seu email






Introvertidos formam entre um terço a metade da população mundial.

Se você está lendo isso agora, grandes chances de que você seja um introvertido ou introvertida.

Em uma rápida pesquisa com a audiência da VDB, descobri que cerca de 70% das pessoas que nos acompanham possuem esse traço de personalidade.

No entanto, o mundo só enxerga a extroversão como uma característica desejável e que deve ser perseguida a todo custo por aqueles que NÃO a possuem naturalmente.

Um tremendo desperdício…

Introversão não é fobia social, nem limitação de alguma forma.

Apenas uma maneira diferente de experienciar o mundo.

E muito mais intensa, já que os introvertidos são mais sensíveis aos estímulos externos.

Barulhos, aglomerações e luzes afetam muito mais os introvertidos que preferem o silêncio e a solidão por isso.

Outra coisa que incomoda muito os introvertidos é a eterna comparação com os extrovertidos…

Você precisa sair mais.

Se não mostrar seu trabalho, como as pessoas vão saber que você é bom?

Aprenda a falar melhor em público se quiser ser notado.

Você precisa circular em festas e eventos para conhecer mais pessoas.

Imagine se todos quiséssemos ser ouvidos e notados.

Quem sobraria para prestar atenção?

Introvertidos não gostam de pessoas?

Esse é, talvez, o maior mito a respeito de nós, introvertidos.

Introvertidos não são frios, sem sentimentos e pouco carismáticos.

Mas ao enfatizar o lado anti-social dos introvertidos (que não é verdadeiro), damos a impressão errada sobre esse tipo de personalidade.

Definir um grupo de pessoas por aspectos negativos, só incentiva o que a cultura vigente já prega: que todos devem seguir os padrões de extroversão.

Introvertidos gostam sim de pessoas.

Introvertidos são pessoas com alta dose de energia.

Introvertidos não são pedras de gelo sem coração.

Ao invés de chamar atenção para aquilo que nos falta, que tal mostrar ao mundo a importância da introversão e as características positivas associadas a essa personalidade?

O lado bom de ser introvertido

É difícil ouvir desde a infância que seu jeito quieto é errado e que para conquistar seja um relacionamento, seja um emprego ou uma venda, você precisa ser como outras pessoas.

Precisa se expor, fazer de tudo para chamar atenção e se destacar e falar sobre si para ser notado(a).

Logo, a introversão parece um defeito ou castigo.

Boa parte dos introvertidos não se aceita como é, busca mudar a todo custo e, por isso, não enxerga seus pontos mais fortes, que são muitos:

1. Facilidade para trabalhar sozinho e ficar em silêncio

A criatividade nasce na solidão.

Quem se distrai o tempo todo com elementos externos, como redes sociais, tem mais dificuldade de mergulhar em períodos de imersão e menos chances de “ouvir” os próprios pensamentos.

Quando estamos sozinhos, nossa mente não gasta energia para lidar com questões sociais não relacionadas ao trabalho.

Se ao invés de estar sozinho com seus próprios pensamentos, debaixo de uma árvore, Isaac Newton estivesse em um piquenique com amigos, será que ele teria feito a mesma descoberta ao observar a queda da maçã?

Possivelmente não, já que estaria concentrado em outras questões.

Portanto, se a solidão é importante para que o cérebro esteja apto a fazer novas conexões e observações, e assim ser mais criativo, os introvertidos tendem a se sair melhor nessa área.

E sim, Newton era um introvertido assumido.

O mesmo podemos dizer de Mozart, que dizia ter as melhores ideias quando estava a sós em sua casa, durante uma caminhada após as refeições ou em momentos de insônia.

2. O dom da imaginação

O introvertido vive no mundo da lua e frequentemente sonha acordado.

E isso é bom!

Pensar demais, fazer constantes autoanalises e ser mais cauteloso geralmente são características que surgem naturalmente nos introvertidos.

A forma que a maioria dos introvertidos encontra para se expressar é através da sua criatividade e do seu trabalho e por isso são responsáveis por grandes obras literárias, cinematográficas e avanços científicos e tecnológicos.

3. Maneira única de se comunicar

Nada impede um introvertido de ser um excelente comunicador.

Introvertidos podem gravar vídeos se quiserem.

Podem palestrar se desejarem.

E se saem muito bem em eventos sociais.

Introversão nada tem a ver com timidez.

Porém, de forma geral, os introvertidos preferem a escrita na hora de materializar seus pensamentos.

Você pode preferir uma folha em branco a uma câmera para se expressar, para divulgar seu trabalho ou para fazer seu marketing.

A escolha é sua.

4. Trazem tranquilidade para os ambientes e relacionamentos

Ao invés de frieza, serenidade.

Capacidade de analisar as situações com a mente racional e ponderar os prós e contras das situações.

Se você prestar atenção, vai perceber que é aquele tipo de pessoa para quem seus amigos sempre pedem conselhos ou opiniões sensatas.

Saber calar-se em alguns...

momentos também é vantajoso, especialmente durante conflitos.

Assim como o mundo precisa de agitação, energia de sobra e da paixão dos extrovertidos, a calma, ponderação e sensatez dos introvertidos traz o equilíbrio perfeito.

5. São observadores e detalhistas

Geralmente os introvertidos sentem-se confortáveis nos bastidores.

Mas não precisam ficar por lá.

Muitos, como eu, não querem, ou sentem a necessidade de se colocar à frente do seu próprio negócio, como fiz quando decidi ser a cara da Viver de Blog.

No entanto, escolhi fazer do meu jeito.

Tive que quebrar a crença de que teria que fazer como todos os outros players desse mercado, naturalmente extrovertidos.

Encontrar a minha forma de fazer o marketing da minha empresa.

O Marketing para Introvertidos.

O tipo de marketing que não é sobre quem fala. Não se trata de auto-promoção.

Mas de prestar atenção ao que à audiência e os clientes precisam e, com base na observação e na habilidade de escuta, gerar o exato valor que as pessoas querem receber.

Criatividade sem venda não funciona: como vender como um verdadeiro introvertido

Você morre de medo de vender?

Toda vez que precisa conquistar um novo cliente, fazer uma negociação ou gravar um vídeo de vendas, você sente aquele embrulho no estômago?

Eu entendo seu medo.

Ele já foi o meu um dia.

Muito por conta de afirmações como essa:

“Para você aumentar sua audiência online você PRECISA gravar vídeos. Não há outra maneira de crescer um negócio digital sem aparecer nas câmeras”.

Você já ouviu isso?

Hoje, você irá conhecer outro lado da moeda.

Nesse momento, pare e faça uma reflexão:

Quem te falou que vídeos são obrigatórios?

Você considera essa pessoa extrovertida?

É provável que sim.

Afinal, é mais natural para elas se comunicarem em vídeos do que textos.

Da mesma forma, você não saberá muito sobre qual é a maneira mais eficiente para introvertidos se comunicarem.

Afinal, eles vivem dentro de seus próprios mundos, não se expondo a todo momento.

Há quase dois anos não gravo um novo vídeo para o Youtube e até mesmo para uma página de vendas.

Foco no que sei fazer melhor: escrever.

  • Crio páginas de vendas longas com textos e imagens.
  • Faço posts no Instagram combinando textos e imagens.
  • E até nosso Youtube. Todos os vídeos que estão ali são conteúdos escritos transformados em vídeos.

E você pode fazer isso da maneira mais adequada à sua essência, de forma prazerosa e, principalmente, lucrativa.

Como o introvertido pode ser mais comunicativo

Medo de falar em público não é exclusividade dos introvertidos.

Alguns introvertidos adoram palestrar e chamar atenção para si, enquanto alguns extrovertidos não suportam a ideia de subir em um palco.

O mesmo acontece quando se fala em gravar vídeos.

Esse medo de exposição tem uma explicação que vai além da personalidade.

Pode estar relacionada a traumas de infância ou histórias de vida. M

Mas pode também ser seu instinto de sobrevivência.

O sociólogo E.O. Wilson elaborou uma teoria que afirma que, para nossos ancestrais que viviam na savana, serem observados em lugar de destaque seria sinal de vulnerabilidade.

Afinal, haveria claro perigo de vida, já que teriam animais à espreita.

Imagine então subir em um palco sob os olhares atentos de “possíveis predadores” na plateia.

Pelo menos é o que nos diz nosso cérebro reptiliano, ainda que de forma inconsciente.

Junte-se a isso a necessidade de aprovação de outros pessoas, presente tanto em introvertidos e extrovertidos.

Ao estar em uma posição de destaque, seja em um palco, seja na internet, você está na mira de vozes e olhares julgadores: para o bem e para o mal.

Se esse é um medo real para você, tenho duas boas notícias:

A primeira é que as opiniões de outras pessoas não definem quem é você e qual seu grau de talento e competência.

A segunda é que você não precisa brilhar nos palcos para influenciar pessoas, impactar o mundo que vive e espalhar sua mensagem.

Existe um jeito mais “introvertido” de fazer isso. E muito em breve nós vamos falar sobre ele.

Mais importante do que mudar a forma como o mundo enxerga os introvertidos, é transformar a forma como nós nos enxergamos.

Aprenda a apreciar seus traços introvertidos. Como você viu, não existe certo ou errado. Não existe perfeição.

Quando você veste uma máscara ou tenta mudar a todo custo, você mata  sua criatividade e seu potencial de liderança, fazendo com que todo mundo saia perdendo.

Ser introvertido não é uma falha na sua personalidade.

Introvertidos: o mundo precisa de vocês.

Ou melhor, de nós!

Apollo



Fonte