Review Razer Panthera

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Receba os artigos diretamente no seu email


O Razer Panthera é um controle arcade para PS3 e PS4 , com compatibilidade para PCs. Ele chega com uma boa alternativa para jogos de luta, principalmente para jogadores com objetivo profissional, já que o desempenho é muito maior quando comparados aos joysticks comuns. Mas será que o modelo atende às expectativas? Confira o nosso review completo: Pronto para a luta! Nunca fui muito bom em games de luta, mas confesso que sinto muita dificuldade de jogar nos joysticks convencionais. Ter uma opção como o Razer Phantera ajudou não apenas no meu desempenho, mas também me dando um conforto a mais para executar boa parte dos movimentos. Quer comprar consoles, acessórios e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo Razer Panthera (Foto: Murilo Tunholi / TechTudo) Entre os jogos testados, estão Injustice 2 e Street Fighter Collection. Com o título, a diferença não foi tão grande, isso porque boa parte dos comandos do game não exigem tantos movimentos complexos, como os famosos “C para frente” e “C para trás”. Mas, com Street Fighter Collection, pude perceber o quanto esse investimento é importante. Não há como comparar a facilidade de realizar um simples Hadouken no Razer Phantera como no Dual Shock 4. É muito mais sutil e simples de executá-lo, assim como outro tantos movimentos que os fãs do game já conhecem de cor. A começar por sua alavanca, que permite que tanto a movimentação dos personagens como a execução de suas habilidades sejam reproduzidas de uma forma mais ágil. Já os botões possuem uma profundidade curta, o que propicia comandos mais precisos e com um tempo de resposta maior. Razer Panthera (Foto: Murilo Tunholi / TechTudo) Customização Uma grande vantagem do Razer Phantera é a opção de customização do controle. Tanto seus botões como suas alavancas podem ser trocadas por outros modelos de cores variadas, de acordo com o seu gosto. O modelo no qual testei, veio com a alavanca em formato circular, ou seja, uma bolinha que proporciona uma pegada mais curta. Entretanto, me familiarizo com a convencional que, na minha opinião, se ajusta melhor em toda a minha mão, ajudando a ter uma pegada mais precisa. Razer Panthera (Foto: Murilo Tunholi / TechTudo) Ambos os modelos já vêm disponíveis no controle, basta abrir o compartimento interno para encontrar não apenas a alavanca reserva, como também uma pequena chave de fenda de duas pontas, justamente para efetuar essa troca. Apesar de estar bem fixada, não tive muitas dificuldades para mudá-las, concluindo o procedimento em questão de minutos. Já os botões, não há opções de troca que vêm junto com o modelo, mas o que não faltam são opções de sites que vendem esse tipo de material. É importante frisar que o procedimento para a mudança destes é bem mais complexo que o da alavanca, uma vez que é preciso não apenas remover os...

circuitos elétricos, mas também desencaixa-los. Razer Panthera (Foto: Murilo Tunholi / TechTudo) Design atrativo, mas.. O design do Razer Phantera é bem atrativo. Ele é todo preto – base e botões – com o famoso símbolo da marca estampado na superfície em azul. Porém, essa mesma superfície traz uma camada lisa que acaba ficando marcada com uma certa facilidade, deixando expostos os famosos “dedões”. A posição dos botões segue o padrão arcade, com os comandos específicos do PS3 e PS4 na parte de cima da superfície. Lá estão desde o trackpad do atual console da Sony, até o famoso botão PlayStation, que aciona o menu principal dos consoles. Já o Start e o Options (Select no PS3) ficam na lateral direita. Ele também conta com uma espécie de baú, que serve para armazenar pequenos componentes. Além de um espaço dedicado para a alavanca reserva e a chave mencionados mais acima, também há espaço para guardar outras utilidades, principalmente se você for transportá-lo com frequência. Razer Panthera (Foto: Murilo Tunholi / TechTudo) Entretanto, saiba que o Razer Phantera não é nada leve. Mesmo sem carregar nada na sua parte interna, o peso do controle incomoda um pouco, principalmente quando posicionado em cima das pernas em horas de partidas. Também achei ele um pouco grande em relação a outros modelos. Para ser mais preciso, há um espaço na parte esquerda – depois da alavanca – o qual achei um tanto desnecessário. Ele poderia ser um pouco mais reduzido, o que não incomodaria o manuseio da mesma, e ao mesmo tempo reduziria o seu peso total. Conexão com PS4 e PCs O Razer Panthera traz uma opção de conectividade com os consoles da Sony, PS3 e PS4, e com PCs. Nos videogames, não houve qualquer problema, uma vez que a conexão feita com o cabo não necessita de nenhum tipo de pareamento ou coisa parecida. Razer Panthera (Foto: Murilo Tunholi / TechTudo) Mas com o PC, encontrei uma série de problemas. Além de não reconhecer o Razer Panthera como um controle, o mesmo trazia um delay enorme na hora de executar determinados comandos. O único software que reconheceu o joystick completamente foi o modo Big Picture da Steam, porém, o mesmo não aconteceu com jogos como Injustice. Conclusão O Razer Phantera é uma boa opção para jogos de luta. Com uma boa durabilidade e um desempenho que não deixa em nada a desejar, ele se torna um dos principais modelos para quem busca um controle arcade de qualidade. Porém, peca em pequenos detalhes, como no seu peso e tamanho, principalmente para quem busca uma opção para transportar com frequência para jogar na casa de amigos ou torneios. saiba mais Conheça sete controles ‘diferentões’ para o PS4, console da Sony Lista relembra os piores controles já lançados para os consoles Conheça alguns joysticks criados para pessoas com deficiência física
Fonte:Techtudo